Slackline para iniciantes: 5 manobras básicas

O slackline chegou ao Brasil há apenas alguns anos e já ganhou adeptos nos quatro cantos do país. O esporte, praticado na maioria das vezes com uma fita de 15, 25 ou 50 metros (podendo ser utilizada em grandes extensões pelos mais experientes) e com 25 a 50 milímetros de largura, permite aos praticantes criar manobras inusitadas. A diferença do slackline para a corda bamba, conhecida dos circos, é que a fita é bem mais flexível, o que possibilita um número maior de saltos e artimanhas. Quem nunca se encantou com o agito do slackine em praças ou parques?

O slackline pode ser praticado por pessoas de qualquer idade, inclusive crianças a partir dos 5 anos. Dentre os benefícios trazidos pelo esporte estão o equilíbrio, a concentração, a consciência corporal e a velocidade de reação aos movimentos. Ao praticá-lo trabalha-se com todos os músculos do corpo e também com a mente. E você já está pronto para começar a fazer o slackline? Confira cinco manobras básicas que destacamos para você!

1- Caminhada simples

A primeira manobra que você deve aprender no slackline é a caminhada. Parece simples e fácil, mas para os iniciantes é o exercício fundamental para desenvolver as habilidades necessárias para praticar o esporte, em especial o equilíbrio. Nestas primeiras tentativas recomenda-se o uso de colchões para amortecer os impactos das quedas e evitar lesões ou torções.

Se você está dando os primeiros passos, lembre-se de que simplesmente ficar em pé na fita é um grande desafio! Não desista! Dois passos já são uma conquista. Os veteranos recomendam: não olhe para baixo, nem para os pés! Mantenha um ponto fixo à frente e concentre-se na caminhada. Um pé após o outro. Para auxiliar no equilíbrio abra os braços até a direção dos ombros, sem ultrapassá-los. Uma boa postura também ajuda, por isso mantenha a coluna ereta e siga adiante! Flexionar os joelhos contraindo os músculos das coxas também é indicado para absorver a tensão da corda. Por fim, é preciso de muita concentração!

Após os primeiros passos e o domínio do equilíbrio, experimente caminhar por todo o comprimento da fita. Quando você já estiver craque na caminhada simples coloque para si outro desafio: andar para trás na fita! Este simples exercício ajuda a desenvolver todas as habilidades necessárias para o esporte e potencializa a prática de futuras manobras radicais!

2 – Giros

Se você já está caminhando por toda a fita, experimente realizar alguns giros, eles serão fundamentais para manobras mais complexas. Os principais giros são rotações de 180 graus e 360 graus. Nesta etapa ainda não é necessário realizar saltos, você pode girar deslizando a sola dos pés na própria fita.

A prática dos giros destaca uma área muscular que é muito utilizada no slackline que é a região abdominal. O centro de gravidade do nosso corpo se encontra aí e ao realizar os giros é preciso manter o equilíbrio, mesmo em movimento. Quem não tem um bom preparo físico pode apresentar dificuldades para fazer estes movimentos. Mas com persistência você chegará a fazer até giros de 540 graus! Vá com calma, estabeleça suas metas e treine bastante pois os giros não possuem limites. Para os mais experientes, giros de 960 graus fazem parte das manobras!

3 – Surfing

O surfing é uma manobra, que como sugere o nome, foi inspirada em outro esporte radical. Ela consiste em balançar a fita de um lado para o outro como se de fato o praticante estivesse pisando em uma prancha e deslizando nas águas do mar. A manobra do surfing é indicada para quem está começando pois ajuda a desenvolver o equilíbrio e trabalha com os músculos laterais do abdome.

4 – Saltos

Outra manobra recomendada para os iniciantes é o salto caindo sentado, conhecido em inglês como butt bounce. O exercício consiste em pegar um impulso para cima e cair sentado na fita. Há quem utilize a mão na corda para dar suporte, conhecido como stick butt bounce. Essa é uma prática bastante segura em termos de possibilidade de queda, mas que por outro, lado exige agilidade do praticante. O salto caindo sentado é o início para outras manobras mais complexas como o salto caindo de costas (back bounce), de peito (chest bounce), de joelhos (knee bounce), salto de damas (lady bounce), entre outros.

5 – Andando de joelhos

Há uma série de manobras que podem ser feitas sem o uso direto dos pés. Dentre estas muitas delas utilizam os joelhos como suporte. Para desenvolver essa região e pensar em exercícios mais complexos para praticar a caminhada de joelhos é um bom começo recomendado para iniciantes. Dentre as vantagens dessa manobra está o fato de que ela alonga os músculos da coxa, tão utilizados na prática do esporte.

Ficou animado para praticar as manobras? Lembre-se de que até as manobras básicas exigem treinamento! Portanto, dê um passo de cada vez e tenha vontade e paciência para se desenvolver no esporte.

E como andam suas habilidades no slackline? Conta para gente!

4 Comments

  1. Ayrthon Senna disse:

    Preciso esticar a fita inteira para ganhar impsao necessaria pra pular ?

  2. […] Com o tempo, o domínio sobre a corda será alcançado. Aí, sim, é o momento de arriscar em modalidades mais radicais. Enquanto isso, dê preferência para modalidades próprias do slackline para iniciantes. […]

  3. Felipe Firmo disse:

    Olá.
    Comprei um kit da Gonew de quinze metros, para iniciar no esporte.
    Gostaria de saber se poderei utiliza-lo futuramente para saltos, pois vi um vídeo em que um praticante diz que fitas de 15m não são feitas para saltos.
    Obrigado!
    Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *