Prática do highline: 5 cuidados e técnicas indispensáveis

Prática do highline: 5 cuidados e técnicas indispensáveis

A prática do highline nada mais é do que o slackline nas alturas. E só isso já faz toda a diferença. O slackline nasceu nas décadas de 70 e 80 e foi criado por escaladores, que nos momentos de ócio quando as condições climáticas impediam escalar as montanhas, esticavam suas fitas para tentar se equilibrar.

Mas foi a partir do ano 2000 que a prática começou a ganhar destaque. O esporte que exige concentração, equilíbrio e muita determinação atrai principalmente o público ligado às atividades outdoor. O highline é a modalidade mais radical que envolve conhecimentos técnicas e cuidados específicos. Confira algumas dicas a seguir!

Use sempre backup

A prática do highline implica atravessar um abismo de lado ao outro se equilibrando em uma fita de 25mm, a uma distância de no mínimo 20 metros. Já a altura, quanto mais alto melhor. Para realizar a travessia com segurança, o atleta precisa estar preso a fita através de um boudrier, um leash e uma argola.

Nas duas extremidades da fita é necessário fazer uma ancoragem que seja capaz de suportar a pressão gerada pelo tensionamento da fita e impactos das quedas. E é claro que esse tipo de procedimento exige cálculos e conhecimentos técnicos específicos.

Mas a primeira dica técnica do post de hoje é: use sempre backup! O backup é como se fosse um plano B. Caso a fita principal ou ancoragem falhem um segundo recurso de segurança é acionado, evitando a queda do highliner. Nesse caso, a fita sempre será dupla e ancoragem bem equalizada.

Ancore em lugares seguros

Seja a ancoragem natural (árvores, pedras e etc) ou artificial (pinos fixos ou removíveis), o atleta do highline precisa avaliar com atenção as condições do local onde pretende ancorar a sua fita. Afinal, árvores podres ou com raízes frágeis, pedras soltas, pinos velhos e enferrujados, por exemplo, podem ser fatais.

Outros cuidados precisam ser tomados como: a altura ideal do highline, para que o backup funcione se precisar; evitar abrasão da fita e ancoragens, ou seja, não deixar que os equipamentos se desgastem entrando em atrito com a rocha.

E lembre-se a montagem de um highline só deve ser feita por alguém que domine as técnicas de ancoragem e segurança.

Avalie a qualidade dos equipamentos

Jamais use equipamentos alheios! Equipamentos de segurança devem ser pessoais. Isso porque todos possuem um tempo determinado de vida útil e é preciso estar atento tanto a qualidade do produto quanto às condições de uso e manutenção.

Compre equipamentos de qualidade e faça um controle de uso de cada peça. O boldrier, por exemplo, depois de determinado número de quedas já não garante mais a segurança do atleta. Assim como uma fita não apropriada ou muito desgastada não serve para fazer backup.

Invista em experiência e conhecimento específico

O highline é uma modalidade que exige uma graduação dentro do esporte. Isso quer dizer que dificilmente alguém começa a sua história no esporte já no highline. O processo natural é começar com as fitas tradicionais de 50mm e curtas distâncias.

Com o tempo vai ganhando intimidade com a arte do equilíbrio e já pode evoluir para longline, que envolve distâncias mais longas e uma fita mais fina. Para então poder chegar ao highline com uma bagagem bem estruturada. A troca de experiência com outros atletas envolvidos no esporte e a busca por conhecimento técnico específico é fundamental pra garantir a segurança.

Preserve o ambiente natural

A prática do highline exige outro cuidado muito importante: a preservação do meio ambiente natural. Há os highlines urbanos, mas as linhas mais consagradas são em ambientes naturais, principalmente as que permitem a travessia entre montanhas, cachoeiras e etc.

Nesse aspecto, deixamos um pouco de lado a preocupação com a segurança do atleta para lembrar as boas condutas em cenários naturais. E a regra básica é não modificar, não deixar nada e não levar nada. A natureza não pode sofrer impactos decorrentes da prática do esporte.

Agora que você já sabe mais sobre a prática do highline, conte um pouco pra gente sobre a sua experiência com o slackline, deixe seu comentário no post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *