Os benefícios do Slackline

Quem pratica o Slackline sabe que o esporte é sinônimo de diversão, saúde e bem-estar. Andar na fita trabalha corpo e mente em conjunto e por isso vem ganhando muitos adeptos, atraídos pelos inúmeros benefícios gerados pela atividade.

Geralmente praticado ao ar livre, em praias, parques e praças, o Slackline é uma boa alternativa para quem quer fugir da academia. Acionando diversos músculos do corpo, principalmente dos membros inferiores e região abdominal, o esporte ajuda não apenas a fortalecer a musculatura, como também a prevenir lesões. Como a elasticidade da fita reduz o impacto e preserva as articulações, o Slackline vem sendo usado por fisioterapeutas até mesmo na recuperação de pacientes.

Para os praticantes de níveis mais avançados, que executam manobras mais complexas sobre a fita, a atividade se torna ainda mais rica. Além de exercitar os músculos, os saltos e giros funcionam como uma atividade aeróbica, essencial para um bom condicionamento cardiovascular e respiratório.

E os benefícios do Slackline não param por aí. Conheça alguns deles e entenda o que o Slackline pode fazer por você.

Coordenação

Sabe aquela fase em que o bebê começa a ensaiar seus primeiros passos? Ficar em pé, se equilibrar e caminhar pequenas distâncias é uma tarefa bem complicada para quem está começando. Passadas as dificuldades encontradas nos primeiros meses de vida, coordenar o corpo para caminhar sobre o chão firme torna-se simples e natural. Já caminhar sobre uma instável fita de 5 centímetros de largura exige um pouco mais de coordenação. Como o bebê aprendendo a andar, quem nunca praticou Slackline provavelmente vai encontrar alguma dificuldade para coordenar os primeiros passos sobre a fita.

Posicionar o pé e usar o resto do corpo para se equilibrar pode ser desafiador no início. Mas assim como a persistência dos bebês é recompensada com os primeiros passos, a persistência de quem pratica o esporte é recompensada com um enorme ganho na coordenação dos movimentos.

Concentração

Os lugares mais comuns para a prática de Slackline guardam algumas semelhanças entre eles: são ao ar livre, promovem o contato com a natureza e, é claro, são públicos. Por serem públicos, praias, parques e praças atraem não só praticantes de Slackline, mas todo tipo de gente em busca de lazer.

Por isso, é bem provável que ao tentar se equilibrar na fita, você se depare com um entorno repleto de crianças jogando bola ou correndo, cachorros latindo e possivelmente alguns curiosos de olho na sua performance. Sim, como se andar na fita não fosse desafiador o suficiente, você ainda tem que lidar com todos esses fatores externos na hora de praticar o Slackline.

É aqui que entra sua capacidade de concentração para executar um trabalho que exige muito mais da mente do que do próprio corpo. E é bom lembrar: aprender a se concentrar em situações adversas é uma habilidade que vai ser útil não apenas no Slackline mas em diversas ocasiões do dia-a-dia, como no trabalho e nos estudos.

Rapidez nos reflexos

Em cima da fita, nem sempre tudo sai como planejado. Um movimento em falso pode prejudicar o equilíbrio e ameaçar a estabilidade. Para quem já está em um nível mais avançado, um simples erro de execução no movimento pode significar uma queda mais feia. Para evitar deslizes e, consequentemente, tombos, é preciso pensar e agir rápido.

A instabilidade da fita exige do praticante respostas instantâneas, e por isso, estimula os reflexos do corpo para se manter em equilíbrio.

Consciência corporal

Quem não pratica Slackline, pode pensar consigo mesmo, ao presenciar algumas manobras características do esporte: “Como ele consegue fazer isso? Eu jamais seria capaz de fazer algo assim”. Ora, mas como saber do que somos capazes se não tentarmos?

Conhecer seus limites e também suas capacidades é um princípio constantemente trabalhado pelo Slackline. Como qualquer atividade, a prática exige dedicação e perseverança. E como qualquer aprendizado, perceber uma evolução ou atingir uma meta pessoal é muito recompensador.

A noção de consciência corporal trabalhada pelo Slackline traz benefícios que vão muito além do esporte. Conhecer o próprio corpo ajuda na construção da confiança em si próprio, e na construção da auto-estima.

Coordenação, concentração, agilidade e consciência corporal. Mente e corpo em sintonia e em plena atividade garantem o nosso bem-estar. Que tal ter estes benefícios de uma forma divertida e em um único esporte? Está na hora de começar a praticar Slackline!

3 Comments

  1. ingrid disse:

    QUERO SABER COMO SE POSICIONAR NA FAIXA..??
    E COMO USAR OS BRAÇOS PARA AJUDAR A EQUILIBRAR?
    COMO SE POSICIONAR OS PES E O JUELHOS?
    PARA ONDE OLHAR?
    POR FAVOR ME RESPONDE…
    GRATA…!!!

    • Antonio Moreira disse:

      A planta do pé deve estar totalmente posicionada na fita e os joelhos levemente flexionados. Tenta olhar pra um ponto fixo no fim da fita, isso ajuda a manter o foco e concentração. Espero ter ajudado.

  2. Thiago Kli g disse:

    Muito bom o site e as dicas, iniciei o Slack à umas semanas e estou amando o esporte, à um tempo venho praticando a meditação, e me faltava um esporte pra que eu comece minha transformação em busca de corpo e mente em equilíbrio.

    Respondendo à pergunta da moça à cima…

    Ingrid, as pessoas que me ajudaram, e me ajudam nos 1os passos, me aconselharam a posicionar os pés no sentido da fita, não de lado sobre ela.
    Joelhos, levemente inclinados, e olhar fixo num ponto qualquer, o ideal que seja a árvore ou o fim da fita, nunca para baixo.

    Se estiver muito no início, uma fita menor, 3 à 5 mts.

    Só uma dica: se solta.

    Cheguei todo duro e cai igual uma tábua. Aí me lembrei de um velho ensinamento:

    Galhos duros demais o vento quebra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *